EFEBerlim

A chanceler alemã, Angela Merkel, já abandonou a quarentena domiciliar, na qual entrou a 22 de março por ter estado em contacto com um médico contagiado e após ter dado negativo em diversos testes de COVID-19.

"A chanceler retomou fisicamente o seu trabalho", informou o seu porta-voz, Steffen Seibert. Merkel tinha passado os 14 dias prescritos de quarentena em casa, desde onde continuou com as suas tarefas em teletrabalho.

Nestas quase duas semanas foi submetida a "sucessivas análises" que "felizmente" deram negativo, sublinhou Seibert.

A gestão da crise do coronavírus por parte do Governo está a obter a aprovação da maioria dos cidadãos alemães, especialmente no que se refere ao trabalho de Merkel.

63% dos cidadãos dizem estar satisfeitos com o trabalho da coligação, de acordo com um inquérito da televisão pública ARD. Isto representa um aumento de 28 pontos relativamente ao mês anterior.

A avaliação positiva do tratamento da pandemia por parte do Governo sobe para 72%. E, no que respeita a Merkel, 60% dos cidadãos dizem estar satisfeitos ou muito satisfeitos com a sua liderança.