EFERoma

A metade de Itália vai permanecer pelo menos até ao dia 20 de abril na zona "vermelha", aquela com as maiores restrições, com impossibilidade de sair de casa se não for para trabalhar ou emergências e com o comércio e os restaurantes fechados, segundo os dados hoje divulgados.

Na próxima semana não vai haver mudança de cor para nove regiões que estão atualmente na zona vermelha e depois irão ter que esperar 15 dias novamente para poderem tornar-se numa zona laranja, de acordo com as regras do governo.

Desde amanhã até segunda-feira, feriado na Itália pela Páscoa, todo o país vai estar numa "zona vermelha" e os controlos irão ser intensificados para evitar que as pessoas saiam de casa aproveitando as férias.

Atualmente na zona vermelha estão Valle d'Aosta, Piemonte, Friuli Venezia Giulia, Puglia, Emilia-Romagna, Lombardia, Toscana, Calábria, Campânia, Vêneto, Marche e a província de Trento, e apenas Campânia e Calábria esperam mudar para laranja na próxima semana, onde a mobilidade é permitida dentro da região e algumas lojas e atividades como cabeleireiros vão ser abertas.

De acordo com os dados hoje divulgados, o índice de TR de contágio caiu pela primeira vez nas últimas semanas abaixo de 1 e está em 0,98, assim como a incidência que caiu para 232 casos por 100 mil habitantes.

Atualmente, a zona vermelha é decretada para as regiões onde a incidência é superior a 250 casos.