EFEMoscovo

A Duma, a Câmara inferior do Parlamento russo, aprovou hoje a candidatura de Mikhail Mishustin como novo primeiro-ministro do país em substituição de Dmitri Medvedev, cujo governo se demitiu esta quarta-feira.

Mishustin, proposto pelo presidente russo Vladimir Putin, recebeu o apoio de 383 deputados, enquanto 41 se abstiveram, com nenhum a votar contra.

"As pessoas precisam de começar a sentir as mudanças para melhor imediatamente", disse Mishustin no seu discurso aos deputados minutos antes da votação.

A candidatura de Mishustin, um economista sem experiência política, foi proposta ontem à Duma por Putin pouco depois do líder russo ter apresentado uma reforma constitucional, o que por sua vez levou à demissão do executivo de Medvedev.

Mishustin, 53 anos, era até agora chefe do Serviço Federal de Impostos da Rússia, cargo que ocupou em 2010 e onde ganhou reputação como um bom gestor e especialista em digitalização.

Ao intervenir no parlamento, Mishustin prometeu trabalhar nas tarefas definidas pelo líder russo no seu discurso sobre o estado da nação na quarta-feira, no qual o chefe do Kremlin advogou, em particular, por um maior apoio às famílias de baixo rendimento e políticas para aumentar a taxa de natalidade.

"Temos os recursos financeiros para realizar estas tarefas", assegurou.

Perguntado pelos deputados como pretende enfrentar o estancamento dos ritmos de crescimento da economia russa, Mishustin disse que, para reverter a situação e continuar o desenvolvimento, são necessários "mais investimentos" e "restaurar a confiança" entre o mundo dos negócios e o poder.