EFENova Iorque

A empresa farmacêutica Moderna e a Iniciativa Internacional pela Vacina da SIDA (IAVI, sigla em inglês) anunciaram esta quinta-feira que deram início aos ensaios clínicos de uma vacina contra o VIH que usa a tecnologia de RNA mensageiro (mRNA), a mesma usada para a sua vacina contra a covid-19.

Em comunicado, a empresa disse que as primeiras doses deste produto experimental começaram a ser administradas num hospital de Washington como parte de um estudo de fase 1 que incluirá 56 adultos que não têm VIH.

A vacina busca estimular a produção de anticorpos capazes de atuar contra diferentes variantes do VIH em circulação com uma primeira dose e uma dose de reforço por meio de mRNA.

"A busca por uma vacina contra o VIH tem sido longa e difícil, e ter novas ferramentas em termos de imunogénios e plataformas pode ser a chave para fazer um rápido progresso", disse o presidente da IAVI no comunicado.

Por sua parte, o presidente da Moderna, Stephen Hoge, afirmou que o mRNA oferece uma "oportunidade única" para atender a diferentes necessidades de saúde em todo o mundo e que o avanço desse programa contra o VIH é um passo muito importante.

No projeto, no qual também participa a Fundação Bill e Melinda Gates, os pacientes serão acompanhados por pelo menos seis meses e as suas respostas imunitárias serão analisadas ao nível molecular para avaliar as respostas alcançadas.

A Moderna está a trabalhar em mais de duas dúzias de programas com tecnologia de mRNA, incluindo possíveis vacinas para a gripe e o vírus Nipah, entre outras.

Até agora, a sua vacina contra a covid-19 é a única aprovada de todas as fabricadas pela empresa.