EFELos Angeles (EUA)

A Igreja da Cientologia e um dos seus membros, o ator Danny Masterson, foram processados por quatro mulheres que alegam ter sido alvo de intimidações e espionagem depois de terem denunciado o artista por abusos sexuais.

Dois anos após acusarem o ator por "violação e assédio sexual", tanto as mulheres como o marido de uma delas apresentaram na passada quarta-feira uma ação no Supremo Tribunal do Condado de Los Angeles, alegando que foram assediadas por Masterson e outros integrantes da seita.

Segundo a acusação, Masterson e a Igreja da Cientologia espiaram, invadiram fisicamente a privacidade das vítimas e conspiraram para obstruir a Justiça, entre outras alegações.

Em 2017, o caso de uma das mulheres não seguiu em frente após a seita apresentar mais de 50 declarações dos seus membros a negar o relato da suposta vítima.

Uma dessas mulheres, Chrissie Carnell Bixler, relatou que conheceu Masterson numa festa em 1996 e que, desde que começaram a sair, foi obrigada em várias ocasiões a ter relações sexuais com ele, que agia de forma violenta quando ela se recusava.

Bixler afirmou que se juntou à Cientologia sob as ordens do ator e que lá lhe foi dito que parte da sua função como namorada era "dar-lhe sexo quando ele quisesse".

De acordo com a revista "Variety", outra das acusadoras, Marie Riales, alegou que sofreu o assédio de vários membros da seita que supostamente chegaram a partir uma janela do quarto da sua filha e destroçaram a sua food-truck após publicarem anúncios falsos da sua venda.

Masterson defendeu-se e afirmou que a denúncia "ultrapassa o ridículo", declarações reproduzidas pela revista "The Hollywood Reporter".

A Netflix demitiu Masterson do elenco da série "The Ranch" em 2017 quando soube que a polícia de Los Angeles investigava várias acusações contra o ator.