EFEBerlim

O líder da oposição russa, Alexei Navalny, publicou esta terça-feira uma foto na sua conta de Instagram, onde aparece no hospital universitário de La Charité, em Berlim, na companhia da sua família e com uma mensagem a informar da melhoria do seu estado de saúde.

Navalny expressa na legenda a sua alegria por poder respirar pela primeira vez durante um dia inteiro sem a ajuda de dispositivos médicos.

Em comunicado, o hospital já tinha informado que Navalny tinha apresentado uma clara melhoria, além de ter iniciado o processo de desligá-lo do ventilador e que, moderadamente, já estava a deixar a cama e caminhar com relativa liberdade.

O opositor russo sentiu-se mal durante um voo entre a Sibéria e Moscovo, obrigando o avião a aterrar de emergência em Omsk, onde recebeu tratamento num hospital local.

Posteriormente, a pedido da família, Navalny foi transferido para Berlim, onde continua internado no hospital La Charité.

As análises feitas em Navalny na Alemanha, primeiro no hospital e depois num laboratório especializado do exército alemão, levaram à conclusão de que o opositor foi envenenado com a substância tóxica do grupo Novichok.

Esses resultados foram posteriormente confirmados por laboratórios da França e Suécia.

Por outro lado, os médicos russos que o atenderam em Omsk garantiram que não havia vestígios de envenenamento e que a sua indisposição se deveu a problemas de metabolismo.

O caso Navalny gerou uma tensão diplomática entre Berlim e Moscovo, com o governo alemão a pedir repetidamente ao Kremlin que ajudasse a esclarecer o incidente.

Segundo o jornal americano "The New York Times", Navalny não planeia pedir asilo na Alemanha, pretendendo regressar à Rússia assim que a sua saúde permitir, com o objetivo de continuar o seu trabalho político.