EFEGenebra

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou hoje a composição do seu novo Grupo Científico Assessor sobre a Origem de Novos Patógenos (SAGO), no qual 26 especialistas terão a missão de continuar a investigar a origem da covid-19, entre outras doenças.

O grupo é composto por virólogos, epidemiologistas e outros especialistas do Brasil, Estados Unidos, Reino Unido, Cuba, Rússia, França, Alemanha, China ou Japão, entre outros.

Alguns destes trabalham em instituições como a Universidade de Oxford, os Centros de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA, o Instituto Pasteur ou a brasileira Fundação Oswaldo Cruz, segundo a lista facilitada pela OMS.

Os 36 membros ainda devem ser submetidos a uma avaliação final, na qual a OMS terá também em conta valorizações públicas feitas sobre estes candidatos.

O comité não foi apenas formado para procurar a origem do coronavírus responsável pela covid-19 -para o qual uma missão de especialistas da OMS e outras organizações já viajou à China em fevereiro deste ano-, tendo também o objetivo de investigar eventualmente as causas de futuros patógenos perigosos.

"Entender de onde vêm estes patógenos é essencial para evitar futuros surtos com potencial epidémico e pandémico", destacou em comunicado o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, que augurou que o coronavírus SARS-CoV-2, responsável pela covid-19, "não será o último a emergir".