EFEBudapeste

O primeiro-ministro da Hungria, o ultranacionalista Viktor Orbán, prometeu esta terça-feira ao presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, o apoio de Budapeste à pretensão da Ucrânia de se tornar em país candidato à entrada na União Europeia (UE).

Este apoio foi comunicado esta terça-feira por Bertalan Havasi, porta-voz de Orbán, depois de revelar que o primeiro-ministro húngaro conversou com Zelensky por telefone.

"Viktor Orbán sublinhou que a Hungria apoia a solicitação da Ucrânia de obter o estatuto de candidata à UE", disse o porta-voz, citado pela agência húngara MTI.

O chefe do Governo húngaro defendeu eliminar "o antes possível" os obstáculos burocráticos para a adesão da Ucrânia e prometeu a Zelensky que defenderá essa postura na cimeira do Conselho Europeu prevista para quinta-feira em Bruxelas.

Além disso, Orbán afirmou que a Hungria está disposta a cooperar com o país vizinho, atacado pela Rússia, em temas energéticos, no transporte de cereais ucranianos e no acolhimento de estudantes ucranianos.

Segundo a MTI, depois de Orbán ter recordado que o seu país "recebeu 800.000 refugiados da Ucrânia", Zelensky "agradeceu a ajuda húngara em nome do povo ucraniano".

Orbán é considerado o melhor aliado do presidente russo, Vladimir Putin, na UE, e o seu Governo proibiu o transporte pelo seu território de armas destinadas à Ucrânia e bloqueou durante semanas o sexto pacote de sanções adotado pela UE contra Moscovo, que inclui um bloqueio gradual das importações de petróleo russo.

As relações entre Kiev e Budapeste passaram por momentos de grande tensão, sobretudo durante a campanha eleitoral para as eleições legislativas do passado 3 de abril, nas quais Orbán acusou Zelensky de querer influenciar o voto dos húngaros.

O presidente ucraniano criticou o primeiro-ministro húngaro por não adotar uma postura clara contra a Rússia após a sua invasão da Ucrânia.