EFEBudapeste

O Parlamento húngaro aprovou esta segunda-feira, com praticamente toda a oposição contra, uma emenda legal que autoriza o Executivo do primeiro-ministro, o ultra-nacionalista Viktor Orbán, a governar por decreto, por tempo indeterminado, de modo a combater o coronavírus.

O Executivo de Orbán poderá emitir decretos e decidir o fim da situação de emergência sob a qual a mudança legal foi justificada.

O Governo poderá, por exemplo, suspender leis e bloquear a divulgação de informações "que possam dificultar ou impossibilitar a defesa" (contra a epidemia), e aplicar penas de até cinco anos de prisão para os infratores.