EFEBogotá

O número um do grupo criminoso Clã do Golfo, Dairo Antonio Úsuga David, conhecido como "Otoniel", o traficante de droga mais procurado da Colômbia, foi detido numa operação conjunta da polícia e das Forças Armadas no noroeste do país, informou este sábado a imprensa local.

O Governo não confirmou a detenção, embora a Casa de Nariño tenha anunciado uma declaração do presidente Iván Duque, que ainda não foi divulgada, mas em imagens divulgadas por diversos meios de comunicação pode-se ver o criminoso a sorrir e a ser conduzido por soldados armados com espingardas.

Segundo as primeiras informações, a detenção ocorreu na zona rural de El Totumo, que faz parte do município de Necoclí, no Golfo de Urabá, no noroeste da Colômbia, onde surgiu o Clã do Golfo, que depois se espalhou para outras regiões do país.

"Otoniel" era procurado desde 2015 na região de Urabá por milhares de polícias e militares envolvidos nas duas fases da "Operação Agamenon", na qual dezenas de homens sob o seu comando foram presos ou mortos, além da apreensão de toneladas de cocaína.

Em setembro de 2017, após a assinatura do acordo de paz com as FARC e a abertura de diálogos com os guerrilheiros do Exército de Libertação Nacional (ELN), "Otoniel" anunciou num vídeo partilhado nas redes sociais a sua intenção de se entregar à Justiça, que fez os colombianos pensarem na possibilidade de alcançar a paz após mais de meio século de conflito armado em várias frentes internas.

Segundo o Governo colombiano, o Clã do Golfo é responsável pelo envio de toneladas de cocaína aos Estados Unidos, além de montar uma rede criminosa dedicada à extorsão de empresários e comerciantes na região de Urabá, na fronteira com o Panamá, e principalmente na costa atlântica.

É também acusado de assassinar vários polícias e líderes sociais como parte da sua estratégia de terror nas áreas onde o grupo opera.

Por essas razões, "Otoniel" tem mais de 100 processos abertos na Justiça colombiana e era procurado pela Interpol.