EFERoma

O papa Francisco apelou este sábado para que os fiéis não exagerem nos gastos depois do mundo sair da crise provocada pela pandemia de coronavírus e alertou para os riscos de atitudes egoístas na sociedade.

"Uma vez superada a crise sanitária em que nos encontramos, a pior reação seria cair ainda mais numa febre consumista e em novas formas de autopreservação egoísta", disse o líder religioso numa mensagem gravada que enviou aos participantes do encontro internacional "Economia de Francisco - Papa Francisco e jovens de todo o mundo para a economia de amanhã".

O evento, que é realizado na cidade de Assis, em Itália, começou na última quinta-feira e termina este domingo. Segundo o pontífice, ninguém sai de uma crise como era antes dela.

"Saímos melhores ou piores. Alimentemos o que é bom, aproveitemos a oportunidade e coloquemo-nos todos a serviço do bem comum. Esperemos que no final não haja mais 'outros', mas que aprendamos a desenvolver um estilo de vida capaz de dizer 'nós'", convocou.

O papa disse que é necessário desenvolver outra narrativa económica e assumir responsavelmente que o atual sistema mundial é insustentável de vários pontos de vista. "Atinge principalmente a nossa irmã terra, tão maltratada e saqueada, e os mais pobres e excluídos", ressaltou.