EFETóquio

Pelo menos duas pessoas morreram nas últimas horas no Japão, duas encontram-se desaparecidas e cerca de 170 ficaram feridas pela passagem do tufão Trami, que hoje se afastava do nordeste do país já rebaixado à categoria de sistema de baixa pressão.

O tufão, o número 24 da atual temporada no Pacífico, chegou ao oeste do Japão por volta das 20.00 hora local de domingo (11.00 GMT) e começou a castigar a capital perto da meia-noite, com chuva e fortes ventos.

Esta manhã, no entanto, Tóquio amanheceu ensolarada e o tufão já se estava a afastar para o nordeste do Japão, em direção ao Pacífico, com uma velocidade de 95 quilómetros por hora (km/h), ventos de até 126 km/h e sequências de até 180 km/h, segundo dados da Agência Meteorológica do Japão (JMA).

Às 12.50 hora local (03.50 GMT) o sistema encontrava-se sobre o oceano a uns 200 quilómetros ao leste da cidade portuária de Nemuro, na ilha setentrional de Hokkaido.

De acordo com dados reunidos pela agência local Kyodo e a emissora pública NHK, um camionista pereceu na cidade ocidental de Tottori devido a um derrubamento e um homem apareceu afogado num rio de Yamanashi, ao oeste de Tóquio.

Também está desaparecida uma mulher de 67 anos que foi arrastada por um canal de irrigação em Miyazaki, no sudoeste do país, assim como um segurança de 46 anos da cidade de Koka, na província de Shiga, no centro do arquipélago.

O tufão obrigou a cancelar mais de mil voos em todo o país no fim de semana, e para esta segunda-feira estão cancelados outros 249 voos, segundo os últimos números recolhidos pela NHK.

O aeroporto internacional de Kansai, na cidade de Osaka, o terceiro com maior tráfego aéreo no Japão, interrompeu o seu serviço no domingo e hoje estava a recuperar a sua atividade.

Cerca de 1,3 milhões de casas permaneciam sem provisão elétrica esta manhã devido a danos na rede em todo o país, entre elas umas 410.000 em Tóquio e zonas próximas, informou a NHK.

O tufão obrigou a suspender o tráfego de comboios em algumas redes ferroviárias em pontos distintos do país e dos arredores de Tóquio, e ao longo da manhã de segunda-feira os serviços afetados estavam a recuperar o seu ritmo.

Até às 13.00 hora local (04.00 GMT) ainda continuavam vigentes ordens e recomendações de evacuação para 700 pessoas, depois de na véspera estas tenham afetado mais de 3,8 milhões de residentes em 23 das 47 províncias do arquipélago japonês.