EFEParis

A polícia francesa prendeu e interrogou um suspeito do ataque com faca cometido esta sexta-feira próximo à antiga sede da semanário satírico Charlie Hebdo em Paris, segundo a imprensa local.

A prisão ocorreu na zona da Bastilha, muito próxima à área onde foi o ataque.

Duas pessoas ficaram gravemente feridas mas estão livre de perigo, disseram fontes da polícia à Agência Efe.

Embora inicialmente se pensasse que o atentado tinha sido cometido por duas pessoas e houvesse quatro feridos, a polícia retificou essas informações e especificou que há apenas um autor do ataque e dois feridos.

As forças da ordem mobilizaram a sua Brigada de Investigação e Intervenção (BRI) e ampliaram o perímetro de segurança no local do incidente devido à descoberta de um pacote suspeito que, de acordo com a imprensa francesa, não continha explosivos.

O presidente da câmara central da capital francesa, Ariel Weil, escreveu no Twitter que todas as escolas dos distritos III e IV foram fechadas e que as crianças permanecem dentro das instalações.

De acordo com os seus cálculos, tal afeta milhares de alunos, do infantário ao ensino secundário. A emissora de BFM-TV acrescentou que cinco escolas no distrito XI também foram fechadas.

O Charlie Hebdo foi alvo de um ataque islâmico no dia 7 de janeiro de 2015, no qual 12 pessoas foram mortas, após a revista publicar caricaturas do profeta Maomé. O julgamento desse atentado começou no último dia 2 e deve durar até 10 de novembro.