EFEMadrid

A polícia interveio no último fim de semana em 370 festas ilegais em Madrid, celebradas em casas privadas e locais de entretenimento apesar das proibições para evitar o contágio da covid-19, de acordo com informações passadas esta segunda-feira à Agência Efe.

A Polícia Municipal de Madrid desocupou vários apartamentos turísticos onde as festas eram realizadas, em violação dos regulamentos contra o coronavírus, o que causou incómodo sonoro.

Num desses apartamentos foram detidos dois indivíduos que agrediram os agentes que foram ao local.

O autarca de Madrid, José Luis Martínez-Almeida, disse aos meios de comunicação que parte dessas festas ilegais "também acontecem em casas para fins turísticos", pelo que atuam "de maneira especial" para impedir que possam ser utilizadas para estes fins, apesar da dificuldade em punir quem não reside em Espanha.

Representantes de bairros do centro de Madrid denunciaram ofertas de pacotes de viagens para passar um fim de semana de festa em apartamentos turísticos na capital espanhola, com voos de países como França.

A terceira vaga do coronavírus em Espanha não interrompeu a vida noturna ilegal, e só na cidade de Madrid, com pouco mais de três milhões de habitantes, foram detetadas mais de 2 mil festas clandestinas só este ano.

A região de Madrid, com um recolher obrigatório em vigor, das 23h às 6h, é a que apresenta o maior número de mortes e casos positivos de covid-19 no país, embora tenha as medidas menos restritivas em vigor em Espanha.