EFECracovia (Polónia)

O vice-primeiro-ministro do Governo polaco, Jaroslaw Kaczynski, acusou a Alemanha de tentar impor um "Quarto Reich" na União Europeia (UE) com a formação de um "Estado centralista" no qual Berlim tomará todas as decisões.

Kaczynski, presidente da partido Lei e Justiça, que governa a Polónia desde 2015, afirmou numa entrevista publicada esta segunda-feira pelo semanário polaco "Sieci" que "os alemães proclamam abertamente que são eles quem decidem" e que "o termo 'Quarto Reich' está plenamente justificado".

"Não tem nada de negativo, não se refere ao Terceiro Reich (regime nazi), mas sim ao Sacro Império Romano Germânico", explicou.

Em referência ao novo Governo de coligação alemão, o líder ultraconservador disse que lhes podem estar "agradecidos, de certo modo, por terem deixado claro que querem construir um Estado federal europeu -sob a sua autoridade, claro-".

De qualquer forma, indicou que, na sua opinião, a palavra "federação" é um eufemismo para se referir a um Estado centralista que "exigirá o reconhecimento oficial da dominação alemã".

Por outro lado, Kaczynski referiu-se às "forças de resistência que se opõem a estes planos, inclusivamente nos países maiores, como Itália, Espanha e França", em alusão aos partidos nacionalistas e antieuropeístas destes Estados-membros, como o espanhol VOX, por exemplo.