EFEBerlim

As autoridades sanitárias alemãs contabilizaram 1.226 novos contágios por coronavírus nas últimas 24 horas, o número mais elevado desde o início de maio, de acordo com dados do Instituto Robert Koch (RKI) atualizados à meia-noite.

Na semana passada, a Alemanha já tinha registado mais de 1.000 casos em três dias consecutivos -1.045, 1.147 e 1.122-.

No domingo e segunda os números comunicados tinham caído para metade -555 e 436-, o que é atribuído ao atraso no próprio relatório do fim de semana, e ontem voltaram novamente a somar 966.

O pico de contágios tinha sido registado a princípios de abril, com mais de 6.000 novas infeções diárias, e desde o final de julho o número voltou a aumentar após várias semanas de evolução estável.

Numa entrevista com a emissora Deutschlandfunk, o ministro da Saúde Jens Spahn disse que este desenvolvimento é "certamente preocupante" e salientou a necessidade de estar "alerta", porque estes já não são surtos localizados, mas sim espalhados por todo o país.

Enquanto recentemente os surtos estavam concentrados em matadouros ou após a celebração de uma missa, "agora vemos que devido aos viajantes que regressam, mas também devido a festas de todos os tipos e reuniões familiares, temos surtos menores e maiores em quase todas as regiões do país", indicou.

O número total de casos positivos desde que o primeiro caso de contágio foi relatado no país a 27 de janeiro é de 218.519, e o número de mortes totaliza 9.207, mais seis em 24 horas.