EFESan Salvador

O presidente de El Salvador, Nayib Bukele, alterou novamente a sua biografia no Twitter para se descrever como "o ditador mais 'cool' do mundo".

Esta é a segunda vez que o presidente do país modifica o texto para se classificar como um "ditador". A primeira foi na noite de domingo, quando escreveu "ditador de El Salvador".

Antes, Bukele identificava-se como presidente de El Salvador ou pai de Layla, e as suas mais recentes alterações acarretaram críticas de diversos setores.

A Agência Efe consultou esta terça-feira um funcionário da assessoria de imprensa da presidência salvadorenha para saber se a conta verificada do presidente foi invadida, e a resposta foi que não havia informação a esse respeito. Nenhuma autoridade do Governo denunciou que as mudanças se devam a uma invasão ou a um ataque cibernético.

O governante já negou várias vezes que exista uma ditadura em El Salvador, respondendo às críticas de diversos setores que denunciam uma suposta tendência "autoritária".

No dia 15 de setembro, milhares de salvadorenhos protestaram na capital contra o presidente com cartazes e gritos que o acusavam de ser um ditador.

Em mensagem à nação, Bukele criticou o protesto e afirmou que os manifestantes "foram lutar contra uma ditadura que não existe".

Em março deste ano, o presidente disse que "El Salvador não será uma ditadura, como alguns ativistas, analistas, jornalistas e políticos que não foram eleitos querem insistir".

Bukele, que governa desde junho de 2019, mudou em janeiro a sua foto no Twitter e colocou uma do protagonista do filme "O Ditador" (2012), o almirante general Haffaz Aladeen, interpretado pelo ator Sacha Baron Cohen.