EFEHelsínquia

O primeiro-ministro interino da Finlândia, o liberal Juha Sipilä, apresentou esta terça-feira a sua demissão como presidente do Partido do Centro após a grande derrota nas eleições parlamentares de domingo, nas quais o seu partido obteve os piores resultados da história.

Sipilä, líder centrista há sete anos, constatou no seu blogue que o partido sofreu no domingo uma "derrota histórica" e afirmou que vai continuar à sua frente até que um novo presidente seja eleito.

"O resultado eleitoral não me deixa outra alternativa. O partido decidiu convocar um congresso extraordinário para escolher um novo líder a 7 de setembro", escreveu Sipilä.

O Partido do Centro foi o grande perdedor das eleições finlandesas, na qual obteve 13,8% dos votos e 31 deputados, menos 18 que em 2015.

Os eleitores puniram o partido pelas suas políticas de austeridade nos últimos quatro anos, que permitiram sanear as finanças públicas do país nórdico, mas, segundo muitos finlandeses, prejudicaram os alicerces do seu sistema de bem-estar.

Sipilä dissolveu o governo cinco semanas antes das eleições devido ao fracasso da coligação a três na tentativa de reformar o sistema de Segurança Social e de Saúde, algo que muitos analistas consideraram uma manobra eleitoral para travar a perda de popularidade.