EFENova Deli

As autoridades da Índia confirmaram esta terça-feira que sete pessoas morreram, incluindo um polícia, devido ao surto de violência iniciado ontem em Nova Deli pouco antes da chegada do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, numa visita oficial de dois dias ao país asiático.

"Até agora, o balanço de mortos é de um polícia e seis civis", disse o vice-chefe da polícia de Nova Deli, Alok Kumar.

"A situação estava tensa ontem, era volátil (porque) havia concentrações em lugares diferentes. A polícia teve que agir continuamente e também foram tomadas ações legais", disse Kumar, afirmando que hoje de manhã foram destacadas numerosas forças policiais em vários bairros do nordeste de Nova Deli.

O agente que morreu nos confrontos foi atingido por uma pedra, informaram ontem as autoridades, que não confirmaram o número de feridos. Mas de acordo com a imprensa local, pode haver mais de 100 feridos entre agentes e manifestantes.

O início da violência ocorreu após um confronto entre dois grupos de manifestantes, uns a favor e outros contra o polémico projeto de lei da Cidadania, que a pedido do Governo foi aprovado pelo parlamento em dezembro do ano passado e que concede a cidadania indiana a imigrantes irregulares de Bangladesh, Paquistão e Afeganistão, mas exclui os muçulmanos.

Os incidentes ocorreram poucas horas antes da chegada à capital do presidente dos EUA, que foi recebido no mesmo dia em Ahmedabad, no estado ocidental de Gujarat, pelo primeiro-ministro indiano, Narendra Modi.

Os dois presidentes reuniram-se hoje em Nova Deli, onde assinaram vários acordos de cooperação e promoveram a venda de helicópteros e equipamentos militares dos EUA para a Índia no valor de 3.000 milhões de dólares.