EFEParis

Alguns bairros populares das cidades da periferia de Paris viveram a quarta noite consecutiva de distúrbios, em pleno período de confinamento, uma situação gerada depois de um incidente entre uma patrulha policial e um homem que ficou ferido num acidente de moto.

Um porta-voz da Polícia explicou à Efe que na noite de terça a quarta-feira houve nove detenções e que foram lançados diferentes tipos de projéteis e dispositivos pirotécnicos a algumas patrulhas policiais, mas que não ocorreram confrontos diretos nem feridos.

"A situação foi globalmente mais tranquila que no dia anterior", quando as forças de ordem também prenderam nove pessoas, afirmou o porta-voz.

Os incidentes mais graves tiveram lugar em Gennevilliers, onde houve um incêndio na escola primária Paul Langevin, que foi rapidamente controlado. O gabinete da diretora foi destruído, assim como outras duas salas de aula.

Foram ainda registados incidentes em duas outras cidades do mesmo departamento de Hauts de Seine (noroeste de Paris), Nanterre e Villeneuve la Garenne, bem como em Montreuil e Aulnay sous Bois, no departamento vizinho de Seine Saint Denis (na periferia nordeste da capital), segundo o porta-voz.

Na origem desta situação, que ocorre durante a sexta semana de confinamento obrigatório em França devido ao coronavírus, está um acidente na noite de sábado em Villeneuve la Garenne, quando um homem de 30 anos que circulava de moto e sem capacete ficou gravemente ferido quando embateu num carro camuflado da polícia.

Começaram a circular rapidamente nas redes sociais vídeos do incidente e acusações contra os agentes, segundo as quais estes tinham causado o acidente abrindo voluntariamente uma porta do automóvel para parar o motociclista.

Desde o hospital onde está internado para ser tratado a uma fratura aberta na perna e a outra fratura no fémur, o homem lançou um apelo à calma na terça-feira para que se ponha termo aos incidentes e ressaltou que será feita justiça.

Para esse efeito, o homem -que está sob controlo judicial, foi condenado 14 vezes, na sua maioria por tráfico de droga, esteve preso várias vezes e foi multado três vezes por violação do confinamento- apresentou uma denúncia.

Em antecipação dos tumultos, a Polícia tinha decidido proibir na terça-feira a compra e a posse de fogos de artifício e outros artigos pirotécnicos em toda a área metropolitana de Paris até 27 de abril.