EFEPraga

Numa tentativa de encorajar a vacinação contra o coronavírus, a República Checa vai conceder dois dias extra de férias para todos os funcionários públicos que se vacinem contra a covid-19, anunciou esta quinta-feira o Governo do país.

O primeiro-ministro checo, Andrej Babis, afirmou numa mensagem partilhada no Twitter que a medida, que será aprovada esta quinta-feira pelo Conselho de Ministros, será aplicada retroativamente a pessoas que se tenham vacinado desde 1 de janeiro.

Além disso, o Governo vai recomendar a mesma medida a todos os governos regionais, municípios e empresas, acrescentou Babis.

O país da Europa Central tem atualmente 55% da sua população adulta (mais de 18 anos) e 44% da sua população total vacinada com o calendário completo.

Numa recente interpelação parlamentar, o Ministro da Saúde checo, Adan Vojtech, afirmou que é viável que o seu país atinja 70% da vacinação até setembro.

"Este poderá ser o limiar da imunidade de grupo e quando as medidas atuais contra a epidemia poderão ser aliviadas", disse o ministro.

O Governo checo não está a considerar a vacinação obrigatória, preferindo antes encorajar a imunização através de outros métodos, incluindo campanhas de vacinação sem registo prévio.