EFEMoscovo

Moscovo vê com maus olhos a adesão da Finlândia e da Suécia à NATO, já que considera a ampliação da Aliança Atlântica como um fator "particularmente desestabilizador", disse hoje o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergey Riabkov.

"A nossa posição é conhecida, não muda, consideramos a ampliação da Aliança Atlântica como um fator particularmente desestabilizador ao nível internacional", e Moscovo tem uma atitude "negativa" em relação à entrada da Suécia e da Finlândia na organização, disse Riabkov à imprensa russa, segundo a agência oficial TASS.

Riabkov indicou que a adesão da Suécia e da Finlândia à NATO "não acrescenta segurança nem aos que se ampliam, aos que aderem, nem aos restantes países que veem a NATO como uma ameaça".

O vice-ministro também mencionou a adoção do Conceito Estratégico de Madrid por parte dos chefes de Estado e de Governo da NATO, um documento que orientará as ações da Aliança durante a próxima década e definirá a Rússia como a principal ameaça à segurança transatlântica.

"A cimeira de Madrid consolida o rumo do bloco no sentido de uma contenção agressiva da Rússia. Isto em nada afeta a nossa política, vamos garantir a nossa segurança a 100% em qualquer caso", disse.