EFELondres

A Polícia Metropolitana de Londres revelou esta quinta-feira que impos mais cinquenta multas no âmbito das festas organizadas na sede do Governo britânico e em escritórios públicos durante a pandemia, pelo que o total de sanções supera já a centena.

"A Operação Hillman, a investigação sobre as violações dos regulamentos pela covid-19 em Whitehall -sede do Executivo- e em Downing Street -do Governo- ultrapassam as cem enviadas ao Escritório de Historial Delitivo (ACRO, em inglês), assinalou a Scotland Yard em um comunicado.

A Met acrescenta que a investigação sobre esses encontros sociais organizados durante os últimos dois anos por líderes públicos, quando o resto de país estava sujeito a duras normas, "continua ativa".

"Estas multas continuaram a ser emitidas durante o período desde a nossa última atualização a 12 de abril e a investigação continua ativa", disse a polícia.

A Scotland Yard impôs, na primeira ronda de sanções, uma ao primeiro-ministro, Boris Johnson, à sua esposa, Carrie Johnson, e ao ministro das finanças, Rishi Sunak.

No caso do primeiro-ministro, Johnson tinha dito anteriormente que não acreditava que celebrar o seu 56º aniversário -num encontro "surpresa" organizado pela sua esposa- no seu gabinete fosse uma violação das regras do coronavírus, embora "aceite humildemente" caso as tenha quebrado.