EFELondres

A comissária chefe da Scotland Yard, Cressida Dick, confirmou esta terça-feira que a entidade vai investigar "uma série de eventos" em Downing Street -residência oficial e escritório do primeiro-ministro do Reino Unido- nos últimos dois anos relacionados a uma "possível violação dos regulamentos da covid-19".

Num discurso no comité para polícia e crime da Assembleia de Londres, órgão de supervisão das atividades do autarca da cidade, Dick disse ter entendido a "profunda preocupação popular" com os relatos das últimas semanas de que membros do governo britânico tinham estado envolvidos em atividades que foram proibidas durante o confinamento.

"Posso confirmar que a Polícia Metropolitana (Met, também conhecida como Scotland Yard) vai investigar agora uma série de eventos que ocorreram em Downing Street nos últimos dois anos (da pandemia) sobre uma possível violação dos regulamentos" de combate à pandmeia, disse.

A polícia apontou que o fato de que o Met começar agora a investigar "não significa, claro, que multas serão necessariamente impostas em todos os casos e a todas as pessoas envolvidas".

Dick também indicou que a Scotland Yard não pretende fazer comentários durante a investigação, mas informará quando houver "pontos significativos".

A comissária disse ainda que há "uma série de outros eventos que ocorreram em Downing Street e Whitehall -centro administrativo do Governo- que também foram avaliados, mas pensou-se que não atingem o limiar para consideração numa investigação criminal".