EFETóquio

O cruzeiro Diamond Princess, atracado desde o início de fevereiro no porto de Yokohama depois de ter sido afetado por um surto de COVID-19, ancorou esta quarta-feira e mudou-se para um cais privado após a conclusão dos trabalhos de desinfeção.

O navio deixou o cais da cidade portuária ao sul de Tóquio após quase 50 dias atracado e navegou para uma doca privada a cerca de 30 minutos de distância onde, a seguir à desinfeção, foram mudados todos os colchões nas cabines, disse a empresa proprietária à emissora pública japonesa NHK.

A operadora do cruzeiro, que tem publicado os avanços dos trabalhos de desinfeção no seu site, pretende reiniciar as operações do navio em maio, acrescentou a NHK.

O Diamond Princess foi colocado em quarentena no início de fevereiro depois de um passageiro que desembarcou em Hong Kong ter ficado infetado com o novo coronavírus SARS-CoV-2.

O surto a bordo do navio causou 712 contágios e 10 mortes sob jurisdição japonesa entre as cerca de 3.700 pessoas que inicialmente viajavam no barco.

Dezenas de pessoas foram confirmadas como infetadas ao regressarem a casa depois da repatriação e um passageiro australiano morreu no seu regresso ao país oceânico.

Até esta terça-feira, pelo menos outra dezena de pessoas do navio ainda se encontram nos cuidados intensivos do Japão, de acordo com os últimos dados do Ministério da Saúde.