EFELondres

O Partido Trabalhista, principal da oposição no Reino Unido, conseguiu avanços nas eleições municipais britânicas realizadas na quinta-feira e conferiu um duro golpe aos conservadores de Boris Johnson ao conseguir as autarquias londrinas de Westminster e Wandsworth, redutos "tories".

Três regiões britânicas -Inglaterra, Gales e Escócia- realizaram eleições locais parciais, enquanto os eleitores da Irlanda do Norte foram às urnas para eleger a composição da Assembleia do país, formada por 90 assentos.

À espera dos primeiros resultados em Gales e Escócia, assim como os da Irlanda do Norte, os trabalhistas do líder Keir Starmer têm conseguido em Inglaterra avanços substanciais em locais tradicionalmente conservadores.

Os mais simbólicos são o município de Westminster, que tem estado em mãos dos conservadores desde a sua criação em 1964, e Wandsworth, município do sul da capital britânica controlado pelos "tories" desde 1978.

Wandsworth era considerado o favorito da antiga primeira-ministra britânica Margaret Thatcher por impor impostos baixos.

Estas duas importantes vitórias laboristas são vistas como um reflexo do declive de popularidade de Johnson depois do escândalo das festas na residência de Downing Street durante a pandemia, assim como a crescente inquietude dos eleitores devido ao aumento do custo da vida e preços energéticos muito altos, de acordo com os analistas.

O Partido Trabalhista também conseguiu o bastião conservador de Barnet, ao norte de Londres e com uma grande população judaica, que em eleições anteriores, quando os trabalhistas tinham Jeremy Corbyn como líder, tinha votado conservador em protesto pelos escândalos de antissemitismo que pairavam sobre o partido naquela altura, de acordo com os especialistas.

Nestas eleições estavam em jogo 4.360 cargos em 146 municípios ingleses, de um total de 333, enquanto que todos os 32 da Escócia e os 22 do País de Gales serão renovados.