EFELondres

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, descreveu nesta terça-feira como "desagradável" e "desrespeitosa" a declaração do presidente francês, Emmanuel Macron, de que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) está em "estado de morte cerebral".

Trump fez essas declarações no início de uma reunião bilateral com o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, em Londres, antes do início oficial da cimeira do 70º aniversário da organização.

"Achei um insulto e fiquei surpreso" com a frase usada por Macron, disse o presidente americano, considerando ser uma manifestação perigosa, pois "ninguém precisa mais da NATO do que a França".

Macron fez esse comentário no início do mês passado à revista "The Economist", que causou desconforto a alguns líderes de países aliados, incluindo o do presidente turco Recep Tayyip Erdogan.

"A Turquia respondeu dizendo que ele (Macron) estava em morte cerebral", disse Trump, em declarações na residência do embaixador dos EUA na capital britânica.

"Essencialmente, foi uma declaração muito desagradável para os outros 28 países. Foi desrespeitoso", insistiu o mandatário americano, embora tenha admitido sempre ter tido uma boa relação com Macron.

"A França não está a passar por um bom momento económico e teve um ano muito difícil, de modo que você não pode fazer tais declarações sobre a NATO", disse Trump, referindo-se a problemas internos devido aos numerosos protestos sociais do país nos últimos meses dos chamados "coletes amarelos".

Amanhã, os líderes da NATO vão reunir-se no Grove Hotel, no noroeste de Londres, onde irão realizar o plenário e também reuniões bilaterais em meio de fortes medidas de segurança.