EFEViena

O ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano, Dmytro Kuleba, disse esta sexta-feira que a guerra desencadeada no seu país com a invasão russa podia ter sido evitada se a Europa e o mundo tivessem ouvido mais os avisos de Kiev no passado.

"Não temos outra escolha senão lutar e vencer. A Rússia quer a guerra, não o diálogo", disse Kuleba numa mensagem de vídeo enviada a uma conferência internacional em Viena.

Segundo o chefe da diplomacia ucraniana, o violento conflito armado podia ter sido evitado se a Europa e o resto do mundo tivessem dado mais atenção aos avisos de Kiev no passado.

"Por favor, comecem a ouvir a Ucrânia", pediu Kuleba. Se o presidente russo, Vladimir Putin, for bem sucedido nesta campanha, "irá mais longe", advertiu o ministro, que descreveu a resistência do seu país como um "milagre ucraniano".

Depois de afirmar que "ninguém é espectador" nesta guerra, Kuleba exortou os líderes europeus a empenharem-se na luta contra a Rússia, admitindo que isto implica tomar "decisões difíceis".

Para o ministro ucraniano, a entrega de armas pesadas a Kiev, mais sanções contra a Rússia e o estatuto de candidato à União Europeia para o seu país "são os três caminhos mais curtos para a paz".