EFELondres

A Universidade de Oxford assegurou esta terça-feira que poderá atualizar "rapidamente" a sua vacina contra a covid-19 "se for necessário" face à crescente preocupação causada pela nova variante Ómicron do coronavírus.

Num comunicado difundido esta terça, os cientistas do prestigioso centro académico britânico, que foram pioneiros no desenvolvimento de uma vacina contra o vírus junto à farmacêutica AstraZeneca, assinalam que já contam com as "ferramentas e processos necessários" para um possível retoque da vacina.

"Temos as ferramentas e processos necessários para (efetuar) um desenvolvimento rápido de uma vacina atualizada contra a covid-19 se for necessário", aponta a nota.

A universidade de Oxford sublinha que a vacina continua a proporcionar altos níveis de proteção apesar do surgimento de novas variantes, entre elas a Delta, mas admite que a informação ainda é limitada.

"Devido à recente descoberta da nova variante de coronavírus B.1.1.529 (Ómicron), há de momento limitados dados disponíveis", apontou um porta-voz da referida universidade.  

Mesmo assim, acrescenta que "como com qualquer nova variante, vão-se avaliar cuidadosamente as implicações da emergência da B.1.1.529 para a imunidade da vacina".

"Apesar do aparecimento de novas variantes durante o ano passado, as vacinas têm continuado a proporcionar níveis muito elevados de proteção contra a doença grave, e não há provas até à data de que a Ómicron seja diferente", assinala a universidade.