EFEBarcelona (Espanha)

A vacina Ruti contra a covid-19, desenvolvida por um investigador do Hospital Germans Trias i Pujol, em Barcelona, e fabricada pela farmacêutica espanhola Archivel Farma, é a primeira de Espanha a receber autorização para fazer um teste clínico internacional, que será realizado na Argentina.

Conforme informado pela empresa, a vacina, inicialmente projetada contra a tuberculose, também deve ser eficaz contra outras infeções virais, como o coronavírus, para o qual recebeu a aprovação da Administração Nacional de Medicamentos, Alimentos e Tecnologia Médica (ANMAT) da Argentina para conduzir um teste clínico.

Este é um estudo duplo-cego com placebo, com duração de nove meses, para avaliar a eficácia da vacina Ruti na prevenção da infeção e redução da mortalidade por covid-19 em profissionais de saúde.

A vacina foi desenvolvida pelo Dr. Pere-Joan Cardona, do Serviço de Microbiologia Can Ruti, e baseia-se na chamada "imunidade inata treinada", ou seja, em estimular a imunidade do corpo por meio da vacina e "fornecendo-lhe memória" para gerar uma resposta melhor e mais rápida à exposição ao vírus.

Se a sua eficácia for comprovada, a Ruti pode tornar-se na base para vacinas antivirais de amplo espectro, graças ao seu mecanismo alternativo de geração de anticorpos produzidos pela vacinação clássica.

Essa nova opção terapêutica também poderá ser usada como primeiro recurso em caso de epidemias causadas por novos vírus ou em mutações de vírus pandémicos que fazem as vacinas existentes perderem a sua eficácia inicial.

Também pode ser aplicado como reforço em populações que não respondem efetivamente a vacinas específicas ou como complemento a vacinas que geram anticorpos, por exemplo, aquelas desenvolvidas especificamente para a covid-19.

"O conceito de imunidade treinada surge como uma alternativa interessante e inovadora a ser explorada como estratégia de prevenção, inicialmente em profissionais de saúde", explicou o médico responsável pelo estudo na Argentina, Waldo Belloso, admitindo que "a obtenção de vacinas específicas de eficácia suficiente e disponíveis para uso generalizado levará tempo".

Depois de receber o aval das autoridades argentinas, a empresa Ruti Immune, criada pela Archivel Farma para produzir a vacina, já deu início aos procedimentos logísticos para que as doses cheguem ao país sul-americano e possam começar a ser administradas em 369 funcionários de diversos centros de saúde.

Em Espanha, segundo a empresa, a vacina também poderá em breve ser testada num ensaio clínico muito semelhante pelo Instituto Germans Trias i Pujol (IGTP).