EFEMoscovo

O acidente do avião AN-148 russo que caiu no domingo perto de Moscovo pode ter sido causado pelo fato de o painel de comandos da cabine de pilotos ter mostrado dados errados sobre a velocidade da aeronave, informou hoje o Comité Interestatal de Aviação.

"A análise preliminar da informação registada e o exame de casos análogos ocorridos no passado permitem supor que o fator que causou a situação extraordinária durante o voo foram os dados erróneos sobre a velocidade que apareceram nos ecrãs dos pilotos", afirma esse organismo em comunicado.

Os dados errados podem-se dever ao congelamento dos sensores de velocidade, segundo os dados extraídos pelos investigadores da análise das caixas-pretas recuperadas no lugar do acidente, no qual morreram as 71 pessoas a bordo.

Segundo o MAK, a caixa-preta mostrou que os sistemas de calefação dos três medidores de pressão total, que informam os pilotos da velocidade do avião, estavam desligados.

Os dados apontam que 2 minutos e 30 segundos depois da descolagem começaram a acontecer divergências entre os indicadores de velocidade do piloto e do copiloto.

"Antes da colisão o indicador do painel do piloto começou a mostrar um aumento repentino da velocidade, que no momento do choque era de aproximadamente 800 quilómetros por hora, enquanto o do copiloto era igual a zero", afirmou o MAK no seu comunicado.

Os especialistas terão agora que analisar as gravações do registador de vozes para verificar as ações dos pilotos e as suas reações ao alarme de ameaça de colisão.

Além disso, será feita uma análise exaustiva do sistema de calefação dos medidores de pressão da aeronave para estabelecer que tipos de falha podem ter acontecido.

O avião realizava o voo regular 6W 703 entre Moscovo e a cidade de Orsk, no sul dos montes Urais, e caiu poucos minutos depois de descolar do aeroporto Domodedovo de Moscovo.

Estavam a bordo do AN-148 seis tripulantes e 65 passageiros, três deles crianças.