EFEBarcelona (Espanha)

O aeroporto de Barcelona começa esta terça-feira o lento regresso à normalidade depois do bloqueio parcial que sofreu ontem por parte de manifestantes que protestavam contra a sentença judicial recebida por líderes independentistas catalães.

Um total de vinte voos estão hoje cancelados, frente aos mais de cem de ontem. Várias centenas de pessoas passaram a noite nas instalações, dormindo em cadeiras ou no chão do Terminal 1, devido à impossibilidade de voar.

O aeroporto foi palco da ocupação por parte de milhares de manifestantes, parte dos quais enfrentaram violentamente durante a tarde e parte da noite os agentes da polícia regional catalã que procuravam tentar restabelecer a normalidade das operações.

Os protestos de ontem terminaram com 131 feridos, 115 deles no aeroporto, e 27 tiveram que ser levados a hospitais.

O ministro do Interior interino, Fernando Grande-Marlaska, disse hoje que a atuação da Polícia regional catalã e as forças de segurança do Estado aconteceu com "proporcionalidade, profissionalismo e eficácia" no restabelecimento da ordem e segurança na Catalunha.

Noutras infraestruturas, ainda se registam alguns problemas em várias ferrovias devido a danos e sabotagem em algumas instalações.

Enquanto isso, o Governo regional catalão deve realizar hoje uma reunião extraordinária para redigir uma resposta à sentença do Supremo Tribunal, que acordou penas entre 9 e 13 anos de prisão para nove líderes da ilegal tentativa independentista catalã de 2017.