EFEBarcelona

Os aeroportos espanhóis preparam-se para exigir, a partir desta segunda-feira, um teste PCR negativo realizado nas 72 horas anteriores à chegada ao país a passageiros procedentes de países considerados de risco, e para realizar um teste de antigénio para quem não tem, que fica sujeito a uma sanção.

Espanha solicita a partir de segunda aos viajantes de países ou áreas de risco (a lista é atualizada a cada quinze dias nos sites www.mscbs.gob.es e www.spth.gob.es), independentemente da sua nacionalidade ou local de residência, um PCR negativo realizado nas 72 horas anteriores à chegada ao país.

Estas medidas juntam-se aos controlos realizados atualmente a todos os passageiros internacionais nos pontos de entrada, controlo de temperatura, controlo visual e documental (formulário de controlo sanitário), segundo a norma estabelecida pelo Ministério da Saúde).

A partir de segunda, os passageiros que chegam aos aeroportos espanhóis devem-se dirigir aos balcões de controlo com os cartazes "foreign health authority" e entregar os PCR.

Caso não tenham o teste consigo, podendo ser sancionados, terão que fazer o teste de antigénio nos próprios aeroportos, onde obterão o resultado dentro de aproximadamente uma hora.