EFEBuenos Aires

Matías Morla, agente, advogado e amigo de Diego Maradona, disse esta quinta-feira que "a ambulância demorou mais de meia hora a chegar" à casa do ex-jogador, o que descreveu como uma "idiotice criminosa".

"Sobre o relatório do Ministério Público de San Isidro, é inexplicável que durante 12 horas o meu amigo não tenha recebido atendimento nem controlo por parte dos profissionais de saúde. A ambulância demorou mais de meia hora a chegar, o que foi uma idiotice criminosa", comentou esta quinta no Twitter.

Segundo Morla, "este fato não pode ser ignorado", motivo pelo qual vai pedir "uma investigação até ao final das consequências".

"Como o Diego me disse: 'És o meu soldado, age sem piedade'", acrescentou.

Morla disse que não vai estar no velório que está a ser realizado na Casa Rosada, sede do Governo argentino, porque já se despediu "pessoalmente" e considera o ato "um momento íntimo e familiar".

"Para definir o Diego neste momento de profunda desolação e dor, posso dizer: foi um bom filho, o melhor jogador de futebol da história e uma pessoa honesta. Que descanses em paz, irmão", disse Morla.

Maradona morreu na quarta-feira em casa na província de Buenos Aires, aos 60 anos de idade, devido a uma insuficiência cardíaca aguda.