EFELisboa

O primeiro-ministro português, António Costa, descreveu esta sexta como "irracional" a possibilidade de se realizar eleições antecipadas, cenário falado devido ao debate desencadeado pelos problemas que o seu Governo minoritário está a ter em aprovar o Orçamento de 2022.

Em declarações à imprensa, Costa disse que a realização de eleições antecipadas, caso o Orçamento não seja aprovado, seria "completamente irracional" e é, ressaltou, o que "a maioria dos portugueses" pensa.

O Governo socialista de Costa, com 108 dos 230 deputados, está a encontrar dificuldades na aprovação do Orçamento devido à rejeição do Bloco de Esquerda, Partido Comunista e do animalista PAN.

Além disso, Rui Rio, líder do PSD (centro-direita), o principal partido da oposição, já avançou que irá votar contra.

O presidente português, o conservador Marcelo Rebelo de Sousa, disse nos últimos dias que "dificilmente o Governo podia continuar a governar com o Orçamento deste ano sem fundos europeus".

"O país está a sair de uma crise profunda, o país tem uma oportunidade histórica para aproveitar os recursos de que dispõe, o país tem um bom Orçamento e tem a oportunidade de melhorar a proposta de Orçamento no debate parlamentar", salientou Costa na sexta.

O debate parlamentar terá lugar entre 22 e 27 de outubro, enquanto a votação final será a 25 de novembro.