EFEMadrid

O autarca de Madrid, José Luis Martínez-Almeida, recomendou esta terça-feira aos madrilenos que "saiam o menos possível" devido à situação "preocupante" que a cidade vive com a pandemia e pediu aos cidadãos que sigam a instruções das autoridades sanitárias.

Numa entrevista à Cadena Ser, Martínez-Almeida juntou-se ao pedido feito também hoje nesta mesma estação de rádio pelo ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, que pediu aos madrilenos que reduzissem a sua mobilidade ao essencial.

Já como porta-voz do conservador Partido Popular (PP), Martínez-Almeida pediu ao presidente do Governo espanhol, o socialista Pedro Sánchez, que se quer realmente evitar espaços de confronto, o PSOE de Madrid devia "dissociar-se" da manifestação contra a gestão da presidente da Região de Madrid, Isabel Díaz Ayuso, convocada para este domingo.

Martínez-Almeida ressaltou que se Sánchez quer abrir espaços de diálogo e colaboração deverá manter "um contacto mais fluido e contínuo com o PP" e considerou que uma "boa demonstração" de que tem este espírito aberto seria o PSOE cancelar as manifestações que estão a ser preparadas contra o Governo de Díaz Ayuso.

Relativamente à reunião de ontem entre o chefe do Executivo e a presidente de Madrid, o presidente da Câmara espera que "não fique só numa fotografia" e que sejam tomadas as medidas adequadas para lutar contra o aumento de contágios.

Em relação à situação no distrito de Lavapiés, e se a Câmara Municipal de Madrid contempla pedir restrições, o autarca limitou-se a dizer que "em cada momento apropriado serão tomadas as medidas necessárias", considerando que enviar outra mensagem seria "enganoso" para os madrilenos.