EFEBrasília

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, encabeçou esta terça-feira, quando se celebra o Dia da Independência, uma grande manifestação convocada em defesa da "liberdade" mas na qual se destaca um cariz antidemocrático.

Durante o seu discurso frente a milhares de pessoas em Brasília, Bolsonaro voltou a ameaçar o Supremo Tribunal, que abriu uma investigação contra o presidente por divulgar notícias falsas e ameaças à democracia que já levaram à detenção de numerosos ativistas de extrema-direita.

"Não podemos aceitar mais prisões políticas no nosso Brasil. Ou o chefe desse poder enquadra o seu ou esse poder pode sofrer aquilo que nós não queremos", afirmou o presidente aos apoiantes, sem especificar exatamente as supostas represálias.

"O Supremo Tribunal Federal perdeu as condições mínimas para continuar dentro desse tribunal", acrescentou.