EFEBruxelas

A comissária europeia da Saúde, Stella Kyriakides, disse esta quarta-feira que a situação epidemiológica continua a ser "alarmante" em muitos Estados-membros, especialmente devido a novas variantes, e observou que se pode esperar um aumento do número de contágios e hospitalizações nas próximas semanas.

"Estamos a começar a ver circunstâncias preocupantes, evidenciadas pelo facto de os casos estarem a aumentar em 19 Estados-membros, hospitalizações em 15 e mortes em 8", disse a comissária numa conferência de imprensa para apresentar novas regras para o mecanismo europeu de controlo das exportações de vacinas.

"Isto tem levado a preocupações sobre uma terceira vaga se a situação continuar a deteriorar-se. Como resultado, podemos esperar que o número de casos e hospitalizações aumente ainda mais nas próximas semanas e que a mortalidade, que se tinha mantido estável, registe um ligeiro aumento", acrescentou.

A comissária disse que embora a taxa de transmissão se mantenha a um nível estável, a situação "é preocupante porque temos visto um aumento no número (de casos) devido às variante nas últimas semanas".

A atualmente dominante, acrescentou, é a britânica, que está presente em todos os países da UE à exceção de dois e representa até 80 por cento das amostras genómicas sequenciadas em certos países.

As estirpes sul-africanas e brasileiras, entretanto, foram detetadas em 18 e 9 países respetivamente, embora a brasileira esteja principalmente ligada a viagens.

A comissária da Saúde salientou que "para assumir o controlo da situação será necessário mais do que medidas de saúde pública e sacrifícios dos cidadãos" e advertiu que vai ser requerido "o acesso a vacinas seguras e eficazes o mais rapidamente possível".