EFEPequim

A Comissão Nacional de Saúde da China afirmou hoje que o número de contagiados "ativos" pelo coronavírus SRA-CoV-2 no país asiático é de 1.299, a primeira vez desde janeiro que ficou abaixo dos 1.300, embora tenha continuado a registar novos casos, a maioria destes provenientes do estrangeiro.

As autoridades sanitárias comunicaram hoje que, até à última meia-noite, hora local (16h00 GMT de domingo), foram registados 39 novos casos, 38 dos quais vindos do estrangeiro, os chamados casos "importados". O caso restante é uma infeção local diagnosticada na província de Cantão, no sudeste do país.

No entanto, o número de contagiados "ativos" continua a diminuir na China, uma vez que os dados oficiais mostram que o número de doentes que superam a doença e que têm alta hospitalar excede o número de doentes recentemente infetados numa base diária.

No relatório da Comissão Nacional de Saúde publicado hoje, por exemplo, 114 pacientes tiveram alta hospitalar, em comparação com as 39 novas infeções referidas.

O número de pessoas em estado grave também continuou a diminuir para 265 (menos 30 do que na véspera).

A fonte oficial assinalou que apenas foi notificada uma morte devido à pneumonia COVID-19 resultante, que ocorreu em Wuhan, o local de nascimento do surto e que nas últimas semanas regista maioria das novas mortes.

Assim, o número total de infetados diagnosticados na China desde o início da pandemia é de 81.708, 3.331 dos quais morreram e, de momento, 77.078 tiveram alta.

Desde que a doença começou a afetar gravemente o resto do planeta, muitos chineses regressaram ao seu país, onde a COVID-19 - sempre de acordo com números oficiais - parece estar mais controlada. Daí o aumento dos casos "importados" nas últimas semanas, uma vez que muitos deles provêm de outros focos mundiais do vírus.