EFEPequim

A Comissão Nacional de Saúde da China aumentou para 908 o número de mortes causadas pelo novo coronavírus, inicialmente detetado na cidade de Wuhan, e elevou para 40.171 a quantidade de casos diagnosticados no território chinês.

De acordo com a comissão, até à meia-noite local tinham sido relatados 6.484 casos graves, enquanto 3.281 pessoas receberam alta após recuperarem da doença.

A comissão afirmou até agora já ter monitorizado 399.487 pacientes em contato próximo com os infetados, 187.518 dos quais permanecem sob observação. Desses últimos, 23.589 são suspeitos de ter contraído o vírus.

Os novos dados representam um aumento de 97 mortes em relação ao relatório do dia anterior, além de acrescentar mais 3.062 pessoas infetadas à lista. Também foram acrescentados 632 nomes à lista de pacientes que receberam alta.

Das 97 mortes, 91 foram registadas na província de Hubei -da qual Wuhan, epicentro da epidemia, é a capital-, que está em quarentena desde 23 de janeiro.

Os seis outros casos foram distribuídos nas províncias de Anhui (leste, duas mortes), Jiangxi (leste), Heilongjiang (nordeste), Hainan (sul) e de Gansu (norte-centro). Ainda assim, Hubei concentra 2.618 dos 3.062 novos positivos para o coronavírus.