EFEParis

Grupos de "coletes amarelos" multiplicaram este sábado os atos de vandalismo em diferentes partes de Paris durante mais um dia de protestos no final de semana que marca o primeiro aniversário do início do movimento, que desta vez não teve uma grande mobilização.

O principal ponto de tensão no início da tarde foi a Praça de Itália, onde os manifestantes, na maioria das vezes com os rostos cobertos, formaram barricadas e as incendiaram, assim como algumas motos e carros.

Além disso, também destruíram paragens de autocarro, quiosques e estabelecimentos comerciais, assim como um banco.

A polícia reagiu lançando gás lacrimogéneo para dispersar os manifestantes. Até às 13h30 (horário local) de hoje, mais de 40 pessoas tinham sido detidas.

A Praça de Itália foi o ponto de partida, a partir das 14h, de uma das três manifestações marcadas pelos "coletes amarelos", mas que foi cancelada pelas autoridades devidos aos distúrbios.

Outro ato autorizado aconteceu mais cedo, por volta da Porte de Champerret, onde perto das 10h dezenas de pessoas interromperam o tráfego no local, até serem dispersadas alguns minutos depois pela polícia.

Antes do início da marcha rumo à estação de Austerlitz foram registados confrontos entre a polícia e os manifestantes com rostos cobertos e que tinham formado algumas barricadas.

Também houve dezenas de convocações dos "coletes amarelos" em outras partes de França, como em Bordéus, Lille, Lyon, Marselha, Nantes e Toulouse.