EFEPequim

O coronavírus causou mais 254 mortes na China esta quarta-feira, dia no qual se confirmaram 15.152 novos casos após as autoridades médicas de Hubei, a província onde surgiu o surto, terem mudado os critérios para contabilizar os infetados.

Segundo os dados publicados hoje pela Comissão Nacional da Saúde, o número total de falecidos pelo COVID-19 -novo nome oficial da doença- sobe para 1.367, enquanto o de contágios confirmados fica em 59.805.

A mudança do sistema de classificação de casos na região centro-oriental de Hubei implicou que durante esta quarta-feira fossem acrescentados ao balanço nessa província 242 mortes e 14.480 novos contágios.

Isto representa, com grande diferença, o maior número de mortes registado num só dia nessa província, cujo recorde diário de falecimentos tinha sido atingido no passado 10 de fevereiro com 103, embora a imprensa oficial tente acalmar os ânimos, assegurando que tudo se deve aos novos critérios.

As autoridades dessa província explicaram que agora se vão incluir nos cálculos "os pacientes que foram clinicamente diagnosticados". Até agora, os casos confirmavam-se através de provas realizadas com equipas que escasseavam na província, e o novo critério dará mais atribuições aos médicos para poder diagnosticar os contágios.