EFEHaia

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) confirmou esta quarta-feira um "possível vínculo" da AstraZeneca com os casos inusuais de coagulação sanguínea reportados em algumas pessoas que receberam esta vacina, mas considera que o seu benefício continua a ser superior ao risco de um efeito secundário.

Segundo as conclusões alcançadas esta quarta pelo comité de segurança (PRAC) da EMA, os coágulos de sangue "inusuais" com baixas plaquetas "devem ser incluídos como efeitos secundários muito raros" da vacina da AstraZeneca tendo em conta "todos os testes disponíveis atualmente", incluindo a assessoria de um grupo especial de especialistas.