EFESanta Cruz de La Palma (Espanha)

A erupção do vulcão Cumbre Vieja na ilha espanhola de La Palma, nas Canárias, continua em andamento com fases mais explosivas e já arrasou cerca de 240 hectares de terreno num perímetro que se aproxima dos 16 quilómetros, segundo os dados facilitados pelo Departamento de Segurança Nacional (DSN).

No seu último relatório da situação emitido ao começo da manhã desta sexta, o DSN assinala ainda que a coluna de gases que sai do vulcão chega aos 4.500 metros de altura.

Existem atualmente duas faixas de lava ativas. A situada mais ao norte está quase parada e tem uma altura máxima de 12 metros, enquanto que a frente sul continua a avançar 4 ou 5 quilómetros por hora com uma altura de 10 metros.

A faixa de lava tem 3.800 metros de comprimento e encontra-se a 2.100 metros da costa.

O sistema europeu de satélites Copérnico, que acompanha a evolução da erupção desde o começo, atualizou os seus dados e assinala que até ao final da tarde de quinta a lava tinha já coberto 180 hectares. Além disso, tinha destruído 390 edifícios (mais 40 que no dia anterior) e 14 quilómetros de estradas.

Quanto à qualidade do ar, o Departamento de Segurança Nacional indica que, segundo os dados meteorológicos, se descarta a ocorrência de chuva ácida durante as próximas 24 horas e acrescenta que "no caso de acontecer não provocaria efeitos significativos ao se tratar de um evento pontual não persistente".

No mesmo sentido, os serviços de emergências das Canárias ressaltam que "os valores de dióxido de enxofre refletem que a qualidade do ar é boa e descarta-se chuva ácida".

O Governo das Canárias vai realizar esta sexta-feira uma reunião extraordinária, que irá contar com a presenta do presidente do Governo espanhol, Pedro Sánchez, na qual se prevê aprovar ajudas para as pessoas que sofreram com os danos materiais causados pela erupção.