EFEMadrid

Madrid, juntamente a todo o centro e este de Espanha, amanheceu esta segunda-feira coberta com um manto branco gelado, depois do intenso nevão deste fim de semana, e com uma queda das temperaturas, trabalhando arduamente para tentar recuperar a mobilidade.

As previsões da passada sexta-feira concretizaram-se e uma grande parte de Espanha sofreu um nevão histórica neste fim de semana, o que complica muito o início desta semana.

O aeroporto de Madrid tem já duas pistas prontas a funcionar, e nesta manhã houve já chegadas e partidas. Segundo disse o ministro dos Transportes espanhol, José Luis Ábalos, numa entrevista à Televisão Pública Espanhola (TVE), as operações serão recuperadas ao longo do dia.

A maioria dos serviços de comboio de longa distância também está a funcionar, incluindo os que partem ou chegam a Madrid, depois de a capital ter ficado isolada.

A vaga de frio que começa esta segunda-feira colocou 12 comunidades autónomas (regiões) em alerta, cinco delas em nível laranja (grande risco), para mínimos até 11 graus abaixo de zero, informou hoje a Agência Meteorológica (Aemet) no seu website.

Com esta situação, a Comunidade de Madrid, com 6,7 milhões de habitantes e muito afetada pela tempestade, tenta arrancar pouco a pouco após a passagem da tempestade Filomena com a maioria das ruas e estradas ainda brancas e com gelo, sem autocarros a circular, sem aulas e com as recomendações de teletrabalho e de que os cidadãos não saiam de casa.

Na capital, o metro é o único meio de transporte a funcionar esta segunda-feira, causando grande aglomeração nas carruagens, especialmente no início da manhã, o que implica um grande risco em plena terceira vaga da pandemia do coronavírus.

Uma das principais preocupações das autoridades de Madrid, para além da mobilidade, é o abastecimento. O mercado central da capital espanhola e um dos maiores centros da Europa, o Mercamadrid, encontra-se fechado, mas as autoridades ressaltam que não haverá problemas de abastecimento.

Além disso, o presidente da câmara da cidade, José Luis Martínez-Almeida, propôs que a ausência de aulas fosse prolongada para além de segunda e terça para evitar problemas de mobilidade e que as crianças em idade escolar não sofressem com o frio severo, pois atualmente, devido à pandemia, as salas de aula ficam abertas.

O conselheiro da Administração Interna do Governo Regional de Madrid disse hoje à TVE que estão a limpar os acessos às grandes superfícies comerciais e centros logísticos para assegurar o abastecimento.

Por outro lado, apesar da tempestade, o novo carregamento de 350.000 doses de vacinas da Pfizer/BioNTech chegou esta segunda-feira a diferentes aeroportos em Espanha, exceto Madrid, embora seja agora difícil distribuí-las em zonas como a Comunidade de Madrid, devido às placas de gelo nas estradas.