EFEMadrid

O presidente do Governo espanhol, Pedro Sánchez, indicou que o Executivo vai regular o preço dos testes de antigénio e anunciou a compra, ainda neste mês de janeiro, de 344.000 comprimidos contra a covid-19 fabricados pela Pfizer para fazer frente a esta sexta vaga da pandemia.

"O debate que tivemos antes ou durante este Natal foi, sobretudo, sobre a oferta destes testes; houve um aumento exponencial da procura mas não da oferta. Este tema já está resolvido; agora vamos controlar o preço dos testes de antigénio", comentou Sánchez durante uma entrevista com a rádio espanhola Ser.

O presidente do Governo de Espanha anunciou ainda a compra durante este mês de 344.000 medicamentos antivirais orais contra a covid-19 fabricados pela Pfizer que "reduzem em 88% a possibilidade de hospitalização dos doentes mais vulneráveis".

Para fazer frente à sexta vaga da pandemia no país, Sánchez continua a confiar na vacinação e nas medidas de autoproteção como o uso de máscara, pelo que garante que o regresso às aulas desta segunda-feira é "seguro".

Sánchez augurou que o pico dos contágios causados pela alta transmissão da variante Ómicron será ao longo deste janeiro e que a curva irá depois começar a baixar.

Sobre a possibilidade de implantar medidas para obrigar à vacinação de quem ainda não o fez, o presidente do Governo respondeu que esse é um debate "apropriado para outras partes da Europa" mas não em Espanha, onde 90% da população tem a vacinação completa, sendo apenas necessário, na sua opinião, uma atitude pedagógica para incentivar.