EFEBrasília

Um grupo de apoiantes do presidente brasileiro Jair Bolsonaro tentou ocupar esta quarta-feira o Ministério da Saúde em Brasília, incidente que acontece um dia depois dos protestos encorajados pelo próprio líder da extrema-direita que terminaram com ameaças às instituições.

De acordo com os meios de comunicação locais, os incidentes começaram quando um homem começou a discutir com os ativistas de extrema-direita, que tentaram atacá-lo e perseguiram-no até à sede do ministério, onde procurou refúgio, à semelhança de alguns jornalistas que estavam a cobrir os acontecimentos e que também foram ameaçados, entre os quais um da Agência EFE.

Os manifestantes foram impedidos de entrar pelos responsáveis de segurança, que se viram obrigados a fechar as portas, perante o qual os ativistas se retiraram, apesar de terem continuado na Esplanada dos Ministérios, uma avenida central que concentra todos os edifícios do poder público.

Foi nessa mesma avenida que Bolsonaro liderou esta terça uma manifestação, por ocasião do Dia da Independência do Brasil, que reuniu cerca de 20.000 pessoas, protestando contra o Parlamento e o Supremo Tribunal, que, segundo a extrema-direita, criam obstáculos à gestão do Governo brasileiro.