EFELondres

A polícia britânica revelou que está a investigar um homem de 43 anos que cumpre pena numa prisão alemã como suspeito do desaparecimento em 2007 da criança inglesa Madeleine McCann em Portugal.

O suspeito, cuja identidade não foi revelada, é um homem branco que passou tempo no Algarve português entre 1995 e 2007 e estava "ligado ao área" da Praia da Luz, onde a criança desapareceu quando tinha quase quatro anos de idade, enquanto dormia com os seus irmãos gêmeos num complexo turístico.

O indivíduo, preso por razões não relacionadas com o caso, tinha o cabelo loiro e curto há treze anos, era magro e de cerca de 1,82 metros, informou a polícia britânica em comunicado.

A equipa da Scotland Yard que administra a chamada Operação Grange, que tenta encontrar indícios sobre a criança desde 2011, colaborou com as autoridades alemãs para rastrear o suspeito e identificou dois veículos que o homem usou em Portugal no momento do desaparecimento.

Um desses veículos é uma carrinha caravana branca e amarela Volkswagen T3 do início dos anos 80, com placa portuguesa, à qual a polícia acredita que o homem "teve acesso" pelo menos de abril de 2007 a maio de 2007.

O suspeito viveu naquela carrinha por dias, talvez semanas, e acredita-se que poderia té-la usado no dia 3 de maio de 2007, quando a criança desapareceu.

A polícia britânica apelou a possíveis testemunhas que viram aquele veículo naquela área do Algarve naquela noite de maio, nos dias anteriores ou nas semanas seguintes.

O segundo é um modelo Jaguar XJR 6 de 1993, com placa alemã, que poderia ter circulado pela Praia da Luz e áreas próximas entre 2006 e 2007, originalmente registada em nome do suspeito.

A 4 de maio de 2007, um dia após o desaparecimento de Madeleine, o veículo foi registado com outro nome na Alemanha.

A polícia enfatiza que, para alterar a placa de um veículo, não é necessário que o carro esteja fisicamente no país e acredita que ainda estava em Portugal na época.