EFELondres

Os impostos, a gestão do brexit e o próprio consumo de drogas marcam esta segunda-feira o início do processo eleitoral no Partido Conservador britânico para escolher ao líder que substituirá a Theresa May à frente da formação e do Governo.

Após formalizar-se na sexta-feira passada a demissão da primeira-ministra, que segue interina até que se eleja a um substituto, das 9.00 às 16.00 GMT de hoje podem apresentar as suas candidaturas os deputados que aspirem a sucedê-la, que devem ser apoiados por pelo menos oito colegas.

Um total de onze parlamentares, entre eles os ex-ministros Boris Johnson e Dominic Raab e os atuais titulares Michael Gove e Jeremy Hunt, se postularam já para o cargo, o que se confirmará ao fechamento do período de indicações.

Segundo a legislação do partido, uma vez anunciados os candidatos, os 313 deputados conservadores poderão votar pelo seu preferido numa série de votações realizadas os dias 13, 18, 19, e 20 de junho, a fim de ir eliminando adversários até que fiquem só dois, que se submeterão a eleição entre os 125.000 membros do partido.