EFECopenhaga

Representantes do governo de Nicolás Maduro e da oposição da Venezuela mantêm conversas em Oslo, com a Noruega como mediadora para tentar resolver a crise no país sul-americano, informaram esta quinta-feira vários média noruegueses.

De acordo com a emissora pública NRK, que cita fontes próximas às negociações, os contatos começaram em Cuba, ao que seguiram várias reuniões num local secreto em Oslo, mediado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros da Noruega, que se recusou a comentar.

A delegação do governo é composta pelo ministro das Comunicações, Jorge Rodríguez, e pelo governador do estado de Miranda, Héctor Rodríguez, enquanto pela oposição estão o segundo vice-presidente da Assembleia Nacional, Stalin González; o ex-deputado Gerardo Blyde e o ex-ministro Fernando Martínez Mottola, segundo a NRK.

As duas delegações viajarão hoje para Caracas depois de uma nova ronda de contatos, de acordo com a televisão pública norueguesa.

Governo e oposição tinha realizado várias rondas de negociações na República Dominicana entre setembro de 2017 e fevereiro 2018, mas quando tudo estava pronto para assinar um acordo, os opositores consideraram insuficientes as garantias dadas para as eleições presidenciais.

A oposição, por sua vez, apresentou outro texto, rejeitado pelo governo venezuelano, de modo que o diálogo com o ex-presidente do Governo de Espanha, José Luis Rodríguez Zapatero como facilitador, entrou num "recesso por tempo indeterminado".

Ao contrário de outros países europeus, a Noruega -que não faz parte da União Europeia- não reconheceu o líder da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, como presidente interino após a sua autoproclamação, em janeiro, mas mostrou o seu apoio e pediu a retomada do diálogo e novas eleições.

A Noruega tem sido um facilitador em cerca de vinte processos de diálogo nas últimas décadas, como o que levou à assinatura dos acordos de Oslo entre israelitas e palestinianos ou as conversas entre o governo colombiano e as FARC.